Emissoras de Rádio e Televisão superam desafios da pandemia e reforçam relevância para a sociedade

(04/06) Em live promovida pelo Lide, empresários de redes de comunicação destacam atuação do setor durante a crise

 

 

A pandemia do novo coronavírus colocou à prova as empresas de comunicação de Santa Catarina, que conseguiram se adaptar à nova realidade, mostrando maturidade, com prestação de serviços essenciais para a sociedade e, consequentemente, registrando aumento de audiência. Essa foi a principal avaliação dos empresários de grandes redes catarinenses de comunicação que participaram nesta quinta-feira (4) da live promovida pelo Lide Santa Catarina, grupo que reúne lideranças empresariais no país e no estado.

O mediador foi o presidente do Lide/SC, publicitário Wilfredo Gomes, com participação do vice-presidente de Mercado do Grupo SCC, Carlos Amaral Neto, presidente Executivo do Grupo ND, Marcello Corrêa Petrelli e presidente da NSC Comunicação, Mário Neves que falaram sobre “O comportamento dos veículos de massa durante a pandemia”.

Para Carlos Amaral, neste período de crise houve a consolidação da importância do rádio e da tv, que assumiram papel de liderança em orientar a população sobre o contágio da doença. “Precisamos aprender com este momento para que possamos entrar fortalecidos em uma nova era”. Marcello Petrelli acredita que o setor conseguir vencer os desafios impostos pela pandemia, com reestruturação das empresas. “Soubemos entender esse momento que foi suprir a demanda da sociedade e dos anunciantes”. “Desde o começo da pandemia, nossa empresa trabalhou a questão saúde x economia. Para isso, ouvimos os especialistas para balizar nossa atuação. Temos que dar vez e voz para quem entende do assunto”, afirmou Mário Neves.

Ao mesmo tempo em que o presidente do Lide/SC reconhece o trabalho do rádio e televisão, ele também fez uma provocação sobre o tema “notícia ruim é que vende”. Para Marcello Petrelli, os veículos de massa cometeram o erro de repercutir o que acontecia nas redes sociais. “O grande desafio é ter uma linha editorial baseada em prestar serviços e uma pauta propositiva. Mas defendo também que a linha editorial deixe claro o posicionamento do veículo. Não podemos só ser mais um meio, mas um fim”. Segundo Mário Neves, os veículos são a expressão da sociedade. “É natural dar notícias sobre a doença, mas com muito cuidado, sem sensacionalismo. Durante este período, nossa empresa desenvolveu vários produtos para valorizar as boas notícias”.   

Retomada – Os três radiodifusores estão otimistas com o pós-pandemia. “Esse é um momento que vai passar. E a comunicação é uma ferramenta valiosa para as empresas. Precisamos entender a dinâmica de como a sociedade vai se comportar daqui para frente”, acredito Carlos Amaral. Marcello Petrelli explicou que a empresa tem conversado muito com os clientes e agências. “Quem se adequou neste período deve sair mais rápido da crise. A radiodifusão tem papel importante para a retomada da economia”. Para Mário Neves, a pandemia provocou uma revolução em todas as empresas. “Nossos clientes estão se reinventando. Tivemos que nos reinventar também. Confio muito na resiliência do catarinense”.

O LIDE - Grupo de Líderes Empresariais é uma organização que reúne os principais líderes do Brasil e do mundo. O LIDE promove a integração entre empresas, organizações e entidade privadas, por meio de programas de debates, fóruns de negócios, atividades de conteúdo. Fomenta o intercâmbio cultural, ampliando a oportunidade de relacionamento e negócios entre lideranças locais e regionais. O LIDE SANTA CATARINA, há cinco anos em atuação no estado, já conta com mais de 100 empresas filiada, com realização de eventos para tratar de temas chaves para o estado, disseminar novas ideias e fortalecer o networking entre lideranças locais e regionais, tornando as empresas mais fortes e competitivas.

Fonte: Assessoria de Imprensa ACAERT