Retro 2019 – Momento Brasil com Sergio Moro e general Guilherme Theóphilo, além da homenagem da Câmara Federal

(26/12) Principais fatos que marcaram os meses de setembro e outubro da radiodifusão catarinense

Retro ACAERT - Set/Outubro 19

SERGIO MORO

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sugeriu no dia 30 de setembro, durante palestra no Momento Brasil, realizado no auditório do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em Florianópolis, que a ACAERT lidere campanha para aprovação do pacote anticrime que tramita no Congresso Nacional. O ministro veio a Santa Catarina a convite da entidade, que promove o Momento Brasil. Antes da palestra, Sergio Moro conheceu o trabalho da associação, que foi mostrado em vídeos, entre eles, o da mobilização da radiodifusão em favor da reforma da previdência. “Rogo que a ACAERT apoie também o pacote anticrime”, afirmou o ministro.

Durante 49 minutos, Sergio Moro fez um balanço das ações desenvolvidas pelo ministério.  Ele destacou dados como a redução de 20% nos assassinatos neste ano em comparação com 2018. Citou as apreensões recordes de drogas, 67 toneladas de cocaína só pela Polícia Federal. Além de uma maior integração das forças policiais, com reforço do trabalho nas fronteiras para evitar a entrada de armas e drogas.

Destacou que projeto piloto para área de fronteiras vai iniciar em Foz do Iguacu, com força-tarefa permanente para reunir dados, inteligência e comando de operações. Vão fazer parte agentes da PF, PRF, polícias locais, da Receita Federal e Forças Armadas.

Homicídios - Moro afirmou que a meta do governo é diminuir homicídios e feminicídios no país. “60 mil homicídios por ano não é um número normal e aceitável. Não podemos ter política de convivência pacífica com essas grandes organizações criminosas”, disse. “Até março deste ano, não tínhamos estatísticas oficiais nacionais sobre a segurança, nem sequer de assassinatos. Conseguimos finalmente ter esses dados disponíveis na página do ministério”, aponta Moro. Ele traçou um paralelo da situação da segurança com a inflação: “Os brasileiros começaram a aceitar aquilo como algo normal”.

Sobre corrupção, segurança pública, crime organizado e criminalidade violenta, Moro reforça que conta com o apoio da sociedade para vencer esses desafios. Lembrou também o trabalho na maior operação judicial e policial do país. “A Lava Jato foi muito difícil. Temos que reconhecer que temos uma tradição da impunidade e da grande corrupção. Com suas virtudes e seus eventuais erros, mudou esse padrão. Agora, vejo o trabalho como ministro como uma continuidade do trabalho que era feito. Temos como lema fazer a coisa certa, do jeito certo, pelos motivos certos”.

A palestra do ministro da Justiça e Segurança Pública foi conduzida pelo presidente da ACAERT, Marcello Corrêa Petrelli, e pelo presidente do TJ/SC, desembargador Rodrigo Collaço. O evento teve o prestígio de boa parte dos desembargadores, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos, secretários de Estado, vereadores, presidentes das organizações que formam o Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina – COFEM, vice-presidente da ABERT, Marise Westphal Hartke, ex-presidentes, dirigentes e associados da ACAERT.

Em seu discurso, Petrelli analisou o atual momento de polarização, radicalizado pela falta de moderação das redes sociais e agravado pela proteção do anonimato, favorecendo o ambiente das fake news. “Não podemos permitir que a nossa habilidade de conviver com as diferenças seja substituída pelo discurso do ódio”, afirmou. “Devemos incentivar o respeito ao próximo e a tolerância. E a Mídia Regional sempre foi catalizadora desses valores”.

 

HOMENAGEM DA CÂMARA FEDERAL

A Câmara dos Deputados realizou No dia 10 de outubro Sessão Solene em homenagem à Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT. A proposição foi do deputado Darci de Matos (PSD). A sessão foi prestigiada pelos senadores Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PL), pelos deputados federais Rogério Mendonça Peninha (MDB), Carmen Zanotto (Cidadania), Carlos Chiodini (MDB), Coronel Armando (PSL), Rodrigo Coelho (PSB), Daniel Freitas (PSL), Darci de Matos (PSD) e Hélio Costa (PSL). Também prestigiaram o evento o secretário de Radiodifusão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Elifas Chaves do Amaral, presidente da Abratel, Márcio Novaes, vice-presidente da ABERT, Marise Westphal Hartke, presidente da ACAERT, Marcello Corrêa Petrelli e os ex-presidentes da entidade, Roberto Amaral e Ranieri Moacir Bertoli.

"A ACAERT é uma instituição importante para Santa Catarina e para o Brasil. Tem uma preocupação com a boa comunicação. Além disso tem comprometimento com o cidadão catarinense. Além de promover grandes debates com o Momento Brasil. Essa homenagem reconhece uma entidade que tem a cara de Santa Catarina" explicou o deputado Darci de Matos.

O presidente da ACAERT, Marcello Petrelli, começou o discurso agradecendo o deputado estadual Darci de Matos (PSD) pela proposição da Sessão Solene. Fez uma análise da realidade ao afirmar que a “transformação digital impôs uma nova realidade ao segmento, mas também ao modo como todos se comunicam. Ao mesmo tempo que encurtou distâncias e aproximou pessoas, criou um ambiente sem moderação, com intolerância e com polarização de opiniões”. “Passamos a defender a Mídia Regional como um contraponto não só a esse ambiente digital irresponsável e sem moderação”.

Petrelli afirmou que “os rumos dos nossos negócios estão na mesma velocidade em que o Brasil se transformou nos últimos anos. Durante esse processo tivemos a sensibilidade de entender que aos veículos de comunicação não cabia mais a zona de conforto da omissão. Tivemos coragem para assumir posições, abraçar bandeiras, propor campanhas e liderar movimentos”.

O dirigente destacou o papel histórico da Mídia Regional nos eventos climáticos no estado, como as enchentes em várias regiões. Com esse DNA, a ACAERT promoveu a maior campanha social já realizada em Santa Catarina, o “Jeito Catarinense – Jeito Certo de Fazer as Coisas”. Petrelli lembrou também as mobilizações institucionais, como o apoio do segmento à Reforma da Previdência.


​GENERAL GUILHERME THEÓPHILO

O secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theóphilo, defendeu NO DIA 11 de outubro, em Florianópolis, a integração das forças policiais do país como forma de combater o crime organizado, os crimes violentos e à corrupção, tripé da proposta do Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado pelo ex-juiz Sergio Moro. Theophilo veio a Santa Catarina a convite da ACAERT, que promove o “Momento Brasil”, série de palestras com autoridades nacionais. O evento foi realizado no auditório da Secretaria Estado de Segurança Pública, na capital, com participação de representantes do Exército, Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiro Militar, Polícia Federal, PRF e IGP, além do deputado federal Hélio Costa (REP) e os presidentes da FIESC, Mario Cezar de Aguiar e da Fecomércio, Bruno Breithaupt e a vice-presidente da ABERT, Marise Westphal Hartke.

O secretário fez um relato das principais ações que estão sendo desenvolvidas em sua área. Sobre a integração, o general citou as ferramentas de Big Data e Inteligência Artificial para combater a criminalidade. “Agentes de segurança poderão acompanhar as ocorrências de todo o país, buscar informações e ficha criminal de suspeitos, além de monitorar veículos roubados, atuar no combate ao tráfico nas regiões de fronteiras”.

O general também destacou que é preciso promover a valorização da vida do profissional de segurança pública “Estamos perdendo mais profissionais por suicídio do que por combate”. O secretário anunciou que o Ministério da Justiça criou um prêmio, o “Oscar da Segurança” será entregue no final do ano a estados que apresentarem novas tecnologias e programas que estão sendo sucesso e podem ser replicados em outros locais do país.

Mídia Regional – Em seu discurso, o presidente da ACAERT, Marcello Corrêa Petrelli, afirmou que o tema da segurança domina o debate político e social.  “Todos os direitos trazem obrigações. Quem infringe a lei, tem que saber que será punido exemplarmente pela justiça”.

Petrelli também reforçou o pacto social entre a segurança e a mídia regional. “Entre as muitas virtudes da mídia regional, está a proximidade com a nossa audiência. Convivemos diariamente com a população. Somos cobrados diariamente pelos nossos ouvintes”.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa ACAERT