Terceiro restaurante da rede Central em Florianópolis adere ao gás natural canalizado da SCGÁS

(24/01) Até a ligação do Restaurante Central, eram 74 estabelecimentos comerciais da Grande Florianópolis que operavam utilizando o gás natural da rede da SCGÁS

A unidade do restaurante Central localizada na Rua Esteves Junior, no centro de Florianópolis, foi ligada nesta terça-feira (24) à rede da SCGÁS. A ideia de utilizar gás natural e o investimento para a realização da obra de ligação partiram do próprio proprietário do restaurante, que aproveitou a reforma da sua rede interna para optar pela conexão ao novo energético. O restaurante Central já opera desde o fim da década de 1970, e das três unidades da empresa no centro da capital, esta é a última a ser ligada à rede de gás canalizado.

A ligação do restaurante à rede da SCGÁS contou com a presença de diversos colaboradores da empresa, inclusive a do presidente Cósme Polêse. O presidente ressalta a importância das ligações de residências e comércios na parte insular de Florianópolis. "Mais do que a economia e comodidade gerados, a massificação do atendimento com a rede de gás natural contribui com a mobilidade urbana e gera segurança para a cidade, em razão da ausência de estoque, uma solução importante principalmente para uma ilha com tantos desafios urbanos. Ficamos felizes, porque os clientes têm escolhido as soluções da SCGÁS", cita Polêse.

Até a ligação do Restaurante Central, eram 74 estabelecimentos comerciais da Grande Florianópolis que operavam utilizando o gás natural da rede da SCGÁS. Toda a região consome cerca de 97 mil m³ de gás por mês no segmento comercial, ficando atrás apenas da região norte catarinense no consumo por este setor.

Em restaurantes, o gás natural pode ser utilizado em todos os processos de preparação de alimentos e no aquecimento de água para a higienização dos ingredientes e utensílios de cozinha. O insumo tem vantagem sobre concorrentes como o gás de cozinha, por exemplo, porque aumenta a produtividade devido ao fornecimento contínuo, o que evita a paralisação das operações do estabelecimento durante as constantes solicitações de recarga, necessárias apenas no uso de outras fontes energéticas. O gás natural também é mais barato, já que o valor da tarifa de gás diminui quanto maior o uso do insumo. Além disso, não existem taxas mínimas de consumo (o cliente paga apenas pelo gás que utilizou), e gastos com estoque do combustível são dispensados. 

Com a tarifa de gás natural mais competitiva do Brasil, a meta da SCGÁS para 2017 é atender 15 novos estabelecimentos comerciais, 32 indústrias, seis postos de combustíveis e cerca de 2.000 unidades residenciais nas diversas regiões do estado. Serão quase 30 quilômetros de novas redes que serão implantadas para atender a novos consumidores.

Fonte: SC GAS || Foto: Leonardo Estrella