TV digital é realidade para quase um milhão de catarinenses

(01/03) Florianópolis e outras seis cidades vizinhas já têm o sinal exclusivamente digital de TV desde os primeiros segundos desta quinta-feira (1º).

O sinal analógico em Florianópolis e nas cidades ao redor começou a ser desligado no início de fevereiro, quando o Gired, grupo responsável pela implantação da TV digital no Brasil, decidiu pelo desligamento escalonado da região.

O trabalho realizado na região teve início em setembro de 2017. Nos 5 meses de atuação, a Seja Digital desenvolveu diversas parcerias com o objetivo de informar e orientar a população sobre a mudança e como ter acesso ao sinal digital. Para isso, campanhas em TV, rádio, jornal e redes sociais foram realizadas, além das ações de mobilização social em diversos bairros e comunidades da região. Foram 250 mutirões de agendamento e instalação, mais de 20 ações de divulgação nas praias catarinenses e 12 Feirões Digitais, em parceria com lojas que venderam antenas, conversores e TVs digitais a preços mais acessíveis.

Em parceria com as 7 prefeituras (Florianópolis, São José, Palhoça, Biguaçu, Paulo Lopes, Antônio Carlos e São Pedro de Alcântara), o atendimento à população foi potencializado por meio do trabalho de mais de 1.200 servidores que atuaram em diversos pontos, como os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). Nesses pontos de atendimento, cerca de 10 mil famílias agendaram a retirada dos kits gratuitos. Cerca de 500 voluntários atuaram como multiplicadores das informações do processo, assim como os mais de 100 líderes comunitários e mobilizadores sociais, que também realizaram agendamentos para que as famílias de baixa renda pudessem retirar os seus kits gratuitos. Em parceria com o Senai, a Seja Digital ofereceu cursos gratuitos e capacitou cerca de 850 antenistas, que trabalham em prol da digitalização de 30 comunidades, além de gerar renda para suas famílias.

A Seja Digital distribuiu cerca de 40 mil kits gratuitos, com antena digital e conversor, que permitiram que as famílias de menor renda continuassem assistindo os canais abertos de televisão. Nos pontos de retirada disponibilizados pela entidade, os moradores também receberam um treinamento sobre como instalar os equipamentos, que permitem que televisores antigos continuem funcionando após o desligamento do sinal analógico. A iniciativa foi fundamental para ampliação do processo de inclusão digital de famílias de baixa renda.

Cerca de 40 bairros receberam a Caravana da TV Digital, que percorreu diversas comunidades. Em uma das ações estava a aposentada Bernadete Lima, de 54 anos, moradora da Vargem do Bom Jesus, que fica ao norte da Ilha de Florianópolis. Bernardete agendou a retirada do kit gratuito durante a ação no bairro e retirou os equipamentos dois dias depois. “Fiquei muito feliz quando soube que eu poderia retirar o kit de graça”, ela diz. “Sou aposentada e não tenho condições de comprar a antena digital e muito menos uma TV nova. Adoro assistir novelas e hoje eu consigo ver a minha novela como nunca tinha visto antes, com uma imagem linda e sem chiado.”

O Hospital Infantil, que é referência no atendimento de crianças e adolescentes no estado, recebeu mais de 70 kits da entidade. Agora, suas TVs antigas continuarão funcionando com a qualidade digital. “Este entretenimento automaticamente vai tornar a estadia no hospital muito mais confortável”, afirmou Mauricio Laerte Silva, diretor do Hospital Infantil Joana de Gusmão. “As TVs como sinal digital vão colaborar inclusive com o tratamento das crianças.”  

Com a compreensão de que a TV é uma parte importante do cotidiano de diversos públicos, com faixas etárias e classes sociais distintas, a Seja Digital também buscou aproximação com escolas, centros comunitários, condomínios, varejistas e antenistas durante todo o processo. “Não medimos esforços para cumprir o lema de não deixar ninguém para trás, realizando ações em todas as regiões das sete cidades envolvidas no desligamento”, afirma Cheila Zortéa, gerente regional da Seja Digital. “As ações de mobilização foram essenciais para cumprir nossa missão e, muito mais do que digitalizar a região de Florianópolis, carregamos a sensação de dever cumprido e de um aprendizado quanto ao poder da mobilização social nas comunidades.”

Mesmo após o desligamento do sinal analógico, a Seja Digital continuará distribuindo os kits gratuitos por pelo menos mais 30 dias. A expectativa da entidade é que a região de Florianópolis siga os passos de Brasília, São Paulo e Recife, e em pouco tempo 100% dos domicílios não ficarão sem ver televisão.

Os canais de atendimento também continuarão à disposição da população para oferecer todo suporte necessário mesmo após o desligamento. O site www.sejadigital.com.br e a central telefônica 147 (ligação gratuita) continuam disponíveis para os moradores que ainda tiverem dúvidas sobre como se preparar para o sinal digital.

Sobre a Seja Digital

A Seja Digital (EAD - Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV) é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil. Criada por determinação da Anatel, tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits para TV digital para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal. Também tem como objetivos aferir a adoção do sinal de TV digital, remanejar os canais nas frequências e garantir a convivência sem interferência dos sinais da TV e 4G após o desligamento do sinal analógico. Esse processo teve início em abril de 2015 e, de acordo com cronograma definido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, mais de 1300 municípios terão o sinal analógico desligado até 2018.

Fonte: Assessoria de Imprensa ACAERT c/Apoio Comunicação